Pesquise no Site

Boletim Sustentável

Preencha seu e-mail abaixo para receber nossa newsletter:

.

.

Sustentabilidade e descarte do e-lixo já impactam investimentos em TI

Iniciativas para reduzir o impacto ambiental e o descarte do lixo tecnológico preocupam cada vez mais as empresas. Nos últimos 24 meses, a adesão à TI verde cresceu 500%, segundo Estudo de Tendências de Investimento em TI 2011 do Instituto Sem Fronteiras (ISF).

A organização colheu informações de 1.140 empresas, entre outubro de 2010 e fevereiro de 2011, para identificar a tendência dos investimentos em informática em 2011. E constatou que ações para a redução do impacto ambiental passaram a fazer parte da política de governança de muitas delas. A decisão por inciativas sustentáveis está vindo da alta cúpula da empresa e não mais de departamentos isolados.

Ainda segundo o estudo, 44% dos entrevistados afirmaram que já possuem uma política formal de TI verde e 15% disseram que começarão a adotar em 2011. Além disso, 61% dos responsáveis pela área de TI já estão adotando uma política de descarte do lixo tecnológico. E a impressão consciente já é adotada por 71% das empresas e mais 16% começarão a adotar este ano.

Mas a melhor notícia é que essas ações começam a ser acompanhadas de atitudes sustentáveis. Na hora da aquisição de produtos, a maioria das empresas já está levando em consideração a participação dos fabricantes nos projetos de descarte e as alternativas que apresentam para aderência à nova Lei de Resíduos sólidos. Também já começam a cobrar dos fornecedores a oferta cada vez maior de produtos que consumam menos energia. E a adotarem ferramentas de gestão e digitalização de documentos, mostrando que a preocupação ambiental já não está mais relacionada apenas com a economia do custo da impressão.

“Apesar de toda a evolução, os próprios responsáveis pela área de TI acreditam que há muito mais a ser feito, tanto que nos eventos realizados pelo ISF a apresentação de cases sobre o assunto é constantemente solicitada”, menciona Angel Miríade, coordenadora da pesquisa.

“A fase de simples redução de custos terminará logo”, declara Ivair Rodrigues, Diretor de Pesquisas do ISF.

A prática da virtualização já alcançou 80% dos servidores dos entrevistados. Em seguida, será a vez dos PCs, storage e aplicações. Mas o próximo passo é a obtenção do ISO 14.000, que está cada vez mais sendo cobrado das empresas que exportam.

No Brasil, os consumidores já estão percebendo e cobrando ações de sustentabilidade.

 

 

 

 

Fonte:

 

Redação
Computerworld
31/03/2011