.

.

.

Pesquise no Site

Boletim Sustentável

Preencha seu e-mail abaixo para receber nossa newsletter:

.

.

Sustentabilidade: Economizar ajuda o meio ambiente


Sustentabilidade é algo muito sério. Hoje, milhões de pessoas se mostram preocupadas com a questão e mesmo "alarmadas" e "inconformadas". Mas a distância entre indignação e ação efetiva para mudar o atual cenário permanece enorme. Pior do que ela é o paradoxo de quem contribui para causas ambientalistas, como a das instituições WWF e Greenpeace, e, no entanto, consome de forma desenfreada.

Pelas estimativas da própria World Wildlife Fund (WWF), se toda a humanidade tivesse o padrão de consumo dos(as) norte-americanos(as), seriam necessários 4,5 planetas Terra para suprir as necessidades. Poderíamos olhar para o povo dos EUA e criticá-los, mas, muitos de nós, brasileiros(as), consumimos tanto ou mais do que o americano médio.

Vejamos alguns pontos que merecem reflexão, a começar pelo uso que fazemos da água - recurso abundante no Brasil e, por esta razão, ainda barato e amplamente desperdiçado.

- Tomar banhos mais rápidos já é uma maneira de economizar água, porém o ideal é fechar a torneira quando nos ensaboamos. Você pode alegar que, no inverno, "o frio é de lascar", ou que o banho quente no final do dia é sua "sessão de relaxamento diário, seu spa pessoal", mas não se iluda! Enfrente o frio e depois se recupere, pedindo a alguém, se possível, para lhe fazer uma massagem. O lucro? Um banho de 15 minutos com o chuveiro aberto consome 140 litros de água. Mas, com o registro fechado na hora de se ensaboar, cai para 40 litros, resultando em uma economia mensal de 3.000 litros.

- Lavar a calçada ou o quintal com água durante 15 minutos pode lhe custar quase 300 litros. Se esta atividade for semanal, no mês serão 1.200 litros pelo ralo. Ao invés disso, utilize a boa e velha vassoura.

- Escovar os dentes com a torneira aberta pode levar até 10 litros de água pelo cano da pia. Então, acostume-se a fechar a torneira durante a escovação e economize até nove litros. A mesma economia pode ser feita durante o barbear ou lavagem do rosto. No mês, dá para atingir 350 litros de economia.

- Não use o vaso sanitário desnecessariamente ou para jogar fora lixo ou outro objeto. E, se for reformar seu banheiro, não se esqueça de optar pelos vasos acoplados, que são mais econômicos do que as descargas normais. Atualmente, já existem também vasos acoplados menores, que consomem seis litros ou menos, diante dos 15 litros dos equipamentos mais antigos. Aqueles(as) que economizarem uma simples descarga por dia, em um vaso de 15 litros, fazem uma economia mensal de 450 litros! Legal, não?

Somadas as economias acima, chegamos a 5.000 litros de água por mês. O preço pago por metro cúbico (m³) de água (ou 1.000 litros) varia segundo diversos fatores (como cidade, bairro, quantidade consumida etc.), mas, para simplificar, vamos considerar que seja de R$ 2,00 por m³. Existe, ainda, o custo do tratamento do esgoto, que geralmente é igual ao custo da água. Assim, estes 5.000 litros se transformam em uma economia mensal de R$ 20,00! Não parece muito, mas o mais importante é que você estará contribuindo com o meio ambiente também, o que não tem preço.

Você sabia que a produção de uma única calça jeans chega a usar mais de 10.000 litros de água, envolvendo todas as etapas de fabricação? Este é só um exemplo do impacto ambiental que a produção de um objeto pode causar à natureza, sem falar dos rombos no seu bolso... Algum dia já chegou a pensar em maneiras de contribuir para um mundo sustentável, através de pequenas iniciativas? Não? É tão fácil! Leia estas orientações:

- Consuma alimentos na quantidade necessária, evitando desperdícios. Ao se servir, por exemplo, já fique de olho nos excessos e na gula;
- Deixe o carro em casa e caminhe no caso de trajetos mais curtos, valendo utilizar transporte público se o caminho for realmente longo e difícil;
- Compre um produto apenas quando realmente necessário, e não para satisfazer seus "desejos" (de status, de posse, de ostentação...).

Tudo seria melhor se nos preocupássemos, de modo racional e, ao mesmo tempo, solidário, com o que ocorre além da nossa casa, dos nossos muros, do nosso jardim.

 


Fonte:

parana-online.com.br
24/08/2010