Pesquise no Site

Boletim Sustentável

Preencha seu e-mail abaixo para receber nossa newsletter:

.

.

Sustentabilidade: os 3 R’s não saíram de moda

A sustentabilidade não só pode como deve partir de pequenas ações, pois elas juntas são capazes de realizar grandes transformações. Cuidar do planeta que nos acolhe não é sobre moda ou tendência, algo passageiro que contagia a todos por um tempo e depois cai no esquecimento. Nos preocupar e atuar para manter saudável o ambiente que nos cerca é uma questão de responsabilidade.

Por vezes podemos ter a impressão de que a água que nos empenhamos em economizar e a sacola plástica que deixamos de usar, não farão a mínima diferença devido ao tamanho do planeta Terra. Porém, vale olhar por outro ângulo e pensar que se cada indivíduo se comprometer em agir de forma consciente em seu dia a dia, evitando desperdícios, descartes inapropriados e reduzindo o uso de poluentes, será possível notar mudanças positivas.


Reduzir, reutilizar e reciclar são ações essenciais para manter o meio ambiente saudável e consistem na redução do consumo de produtos que geram resíduos, reutilização de materiais quando possível e reciclagem de materiais, ou seja, transformação em matéria-prima para a produção de novos produtos. Empresas e organizações governamentais são importantes no processo de cuidado com o ambiente, mas também é fundamental que o pensamento consciente tenha início dentro das casas da população.

Anatália S. Rocha, de 78 anos, é dona de casa e afirma “Tem comida que por ser em pouca quantidade e não dar para todo mundo, a família joga fora. Mas não precisa! É só inventar e transformar em um novo prato, incrementar e criar”. Segundo Anatália, evitar o desperdício de comida em casa é uma forma de economizar e pode ser uma alternativa saudável. “ Desde o pão amanhecido, que podemos transformar em torrada e farinha, até o arroz e o feijão da semana, que podemos transformar em arroz de forno e o feijão em sopa”, exemplifica ela.

Segundo dados do Caderno de Educação Ambiental Ecocidadão, produzido pela Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo, através da reciclagem de lixo estaremos ajudando a economizar recursos naturais. Madeira, água, petróleo e eletricidade são alguns exemplos do que ser preservado a partir da colaboração de todos os cidadãos. Reduzir, reutilizar e reciclar é mais fácil do que você imagina e pode estar ao seu alcance.

Os papéis do escritório que não tem mais importância ou validade não precisam ir para o lixo, podem ser reaproveitados como folhas de rascunho, seja para anotar um bilhete, para registrar a pauta da reunião ou para esboçar um raciocínio. As árvores da floresta amazônica e do restante do mundo agradecem! Após utilizar as folhas por completo, que tal ajudar no processo de reciclagem, rasgá-las e jogá-las no lixo adequado?

O plástico é outro material que merece uma atenção especial. Utilizado com frequência nas embalagens de produtos industrializados, objetos de decoração, utensílios domésticos, brinquedos, sacolas e produtos descartáveis, quando jogados fora, demoram de 50 a 200 anos para se decompor. Com exceção do Polihidroxibutirato, que é utilizado na confecção de cartões de crédito e talheres descartáveis e se decompõe num período mais breve, de 6 meses a dois anos, os outros tipos de plástico demoram muito tempo para desaparecer.

Se está buscando levar uma vida mais sustentável e mesmo assim precisa comprar roupas novas, é possível encontrar marcas ecofriendly que se preocupam com o meio ambiente e possuem uma produção diferenciada. Alguns exemplos são tecidos feitos com material reciclado e jeans ecológico. Para potencializar os resultados de um consumo consciente e sustentável, vale repensar as atitudes do dia a dia e consumir apenas o necessário.

O processo de reciclagem é fundamental na construção de um ambiente mais sustentável. Partindo do princípio de que as pequenas ações resultam em macro resultados, cada pessoa pode contribuir com o descarte adequado de lixo. Dentre todos os tipos de lixo, as principais classificações são: papel, vidro, metal, plástico, orgânico e eletrônico, sendo que os cinco primeiros contam com uma cor que os representam.

Espalhados pelos centros urbanos, os pontos de coleta seletiva auxiliam na separação dos materiais que poderão ou não ser reciclados. Os plásticos devem ser depositados na lixeira vermelha, o vidro na verde, o metal na amarela, o papel na azul e o lixo orgânico varia entre o cinza e o marrom. Quanto ao descarte dos demais resíduos, como os eletrônicos e hospitalares, devemos procurar locais especializados, que darão a eles o destino mais adequado.

Para facilitar o entendimento acerca de quais materiais podem ser reciclados, o Caderno de Educação Ambiental Ecocidadão traz uma tabela informativa:

Se ficou interessado em saber mais sobre como pode ajudar a preservar o meio ambiente e levar uma vida mais sustentável, segue abaixo algumas dicas que podem ser encontradas na íntegra no Guia Verde, desenvolvido pela Coordenadoria de Educação Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo.

– Faça revisões periódicas no seu veículo;
– Tome banhos rápidos;
– Leve sacolas reutilizáveis ao ir às compras. Seja no shopping ou no mercado, dê preferência para as sacolas que são de pano e que você pode levar sempre que sair de casa;
– Não jogue óleo no ralo da pia;
– Desligue os aparelhos eletrônicos da tomada sempre que não estiverem em uso;
– Reutilize a água da máquina de lavar roupas para lavar o quintal e o carro;
– Busque produtos que sejam orgânicos, produzidos por métodos sustentáveis;
– Procure consumir menos carne vermelha e substituir por frango e peixe;
– Use a bicicleta para percorrer pequenas e médias distâncias;
– Faça uso dos transportes públicos com mais frequência;
– Corte as compras desnecessárias;
– Use lâmpadas de LED;
– Substitua o uso de elevador pelas escadas;

Fonte:

Beatriz Melo
O Taboanense
21/09/2018